Seguidores

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Rock n Roll Cristão- Bandas do meio Cristão - Parte IV

Narnia
Christian Liljegren e Carl Johan Grimmark se encontraram pela primeira vez em 1993 em Jönköping, uma cidade no sul da Suécia. Nessa época, Christian e sua banda Modest Attarction estava para lançar o primeiro álbum deles: The Truth In Your Face. Carl era membro de uma banda chamada Sentinel. Eles trocaram entre si os números de telefone e entraram em contato.

Vários anos se passaram e ambos Christian e Carl tiveram dificuldades com as suas bandas. Modest Attraction produziu seu segundo álbum Divine Luxury, na mesma época em que Carl Johan decidiu sair da banda Sentinel. Além disso, em 1996 Christian ligou para Carl Johan e lhe perguntou se ele estava interessado em trabalhar juntos num projeto. Christian tinha paixão pelo hard rock melódico, da qual não estava autorizado a explorar na banda Modest Attraction. Carl Johan ficou interessado no projeto ao longo da conversa.

Poucos meses mais tarde, Christian chamou Carl de novo e disse-lhe que Modest Attraction iria na turnê para a Alemanha e o guitarrista Stephan Mohlin não poderia acompanhá-los. Desta forma, Johan substituiu Stephan. Stephan logo depois deixou a banda, e Carl Johan foi questionado se ele gostaria de ser membro permanente da banda. Carl Johan aceitou, dando assim, tempo para eles planejarem o projeto. Eles levaram um pouco de velhas canções de outras bandas e as modificaram de acordo com as próprias preferências. In setembro de 1996, eles foram para o Top Recording Studio. Carl Johan gravou todos os instrumentos e Christian, os vocais. As gravações levaram vários meses. Eles tinham muitos convidados no álbum, incluindo Jakob Persson que mais tarde tocou baixo no Narnia. Janne Stark foi responsável pelos solo de guitarra e Mart Hallek tocou violino.

Em janeiro de 1997, as gravações finalmente terminaram. Depois de duro trabalho, o álbum Awakening foi mixado.

Graças ao empresário deles, Magnus Söderkvist, o álbum foi aceito por 10 selos japoneses. Finalmente, Narnia decidiu por Pony Canyon. Em maio, Christian e Carl foram na última turnê deles com o Modest Attration. Eles encontraram Matthias Mittelstädt que possuía uma empresa chamada MCM Music. Mittelstädt, junto com seu irmão, Rainer MAtthias, amaram o álbum e Mittelstädt virou o empresário da banda.

Com uma demo em mãos e novo empresário, eles começaram a buscar por novos e talentosos membros e finalmente Narnia nasceu.

Em abril de 2008, surge confirmada a notícia de que o vocalista do Narnia, Christian Liljgren Rivel, deixaria a banda, e foi o que de fato aconteceu. Segundo nota esclarecida pelo Narnia, Christian e a banda decidiram de comum acordo a saída do vocalista-fundador da banda, após doze anos de permanência na mesma. O motivo alegado por Christian de sua decisão em deixar o Narnia, era de que este gostaria de se dedicar inteiramente ao seu preojeto solo que agora o mesmo se tornará sua carreira solo, o AUDIOVISION, de projeto solo, tornou-se a carreira solo de Christian, e este também pos fim à sua banda de power metal, o DIVINEFIRE.

Encontrado o novo vocalista do Narnia. Seu nome é Gérman Pascuall, uruguaio, morou 16 anos no Rio de Janeiro, e mudou-se para a Suécia. Gérman se parece muito fisicamente falando, com Christian, mostrando assim, a grande preocupação por parte do Narnia, em manter a estética da banda, além é claro, da qualidade e do nível da banda.


Integrantes


  • Christian Liljegren Rivel - Vocal

  • Carl Johan Grimmark - Backing Vocal e Guitarra

  • Andreas Johanson - Bateria e Percussão

  • Andreas Olson - Baixo

Ex-Integrantes

  • Jacob Pearson - Baixo

  • Martin Claésson - Teclado

  • Christian Liljgren - Voz (1996-2008)

Músicos Convidados


  • Janne (Metal Warrior) - Segunda Voz

  • Janne Samefors - Segunda Voz

  • Sonny Larson - Segunda Voz

  • Mart Hallek - Violino

  • Anders Johanson - Bateria

  • Eric Clayton (Saviour Machine) - Voz Principal Adicional

  • Pär Argström - Segunda Voz e Voz Principal Adicional

  • Hubertus Liljgren Rivel - Segunda Voz

Projetos Secundários

O vocalista Christian Liljgren Rivel, é autor de alguns projetos solos e uma banda secundária chamada DIVINE FIRE. Os estilos musicais dos projetos solos de Christian, vão desde o rock dos anos 70, até o rock progressivo e hard.

MODEST ATTRACTION - Antiga banda de Christian onde iniciou a sua carreira de cantor. Tinha o estiloconsiderados rock anos 70, progressivo e hard rock. Lançou quatro álbuns.

DIVINE FIRE - Banda de Power Metal (2004-atualmente) Possui quatro álbuns: Glory Thy Name (2004), Hero (2005), Into a New Dimension (2006) e Farewell (2007)


AUDIOVISION - (Trash Metal)

l) Possui um único álbum denominado "The Calling"

WISDOM CALL - (Trash Metal) Possui um único álbum de mesmo título

FLAGSHIP - (Symphonic Rock) Possui um único álbum denominado "Maiden Voyage"

Já o guitarrista e co-fundador do Narnia, juntamente com Christian Carl Johan Grimmark, também possui seus projetos: é um dos guitarristas da banda norte-americana de gotic metal Saviour Machine, além de participações em todos os projetos de Christian. Grimmark é também autor de um trabalho solo, que leva seu sobrenome como título: "Grimmark".

Todos os outros membros da banda Narnia, seguem a linha de Christian e Carl Johan, ou seja, há participações ou até mesmo cargos fixos em outras bandas do gênero white metal.


Discografia


Álbuns




DVDs




Stryper



A palavra "Stryper" em inglês, significa listras. Talvez seja por isso que eles se vestem de listras pretas e amarelas.


De acordo com a banda, o nome "Stryper" é originado do versículo da Bíblia, Isaías 53:5:

Em inglês: "But he was pierced for our


offenses, crushed for our sins, Upon him was the chastisement that makes us whole, by his stripes we are healed."

Em português: "Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas chagas fomos sarados." (Na tradução do versículo, a palavra "stripes" não tem a ver com listras, mas com marcas causadas por flagelação.)

Tal referêcia bíblica também faz parte do símbolo da banda.

Além disso, existem siglas atribuídas a posteriori para o nome Stryper:

Salvation Through Redemption, Yielding Peace, Encouragement and Righteousness.

Salvação Através de Redenção, Trazendo Paz, Encorajamento e Retidão.


Membros

Membros Atuais


  • Michael Sweet, vocal e guitarra (1983–92, 2003–atualmente);

  • Oz Fox, guitarra (1983–9 2, 2003–atualmente);

  • Robert Sweet, bateria (1983–92, 2003–atualmente);

  • Timothy Gaines - Baixo (19 83-1992),(2003-2004), (2009–atualmente tocando pelo aniversario de 25 anos da Banda).(Foto)


Membros Antigos

Tracy Ferrie, baixo (2004)


História


Formada em 1983 pelos irmãos Michael (vocalista) e Robert Sweet (baterista)

e os amigos Oz Fox (guitarrista) e Timothy Gaines (baixista, tecladista).

Em 1984, assinam com a Enigma Records, e em julho saiu o EP "The Yellow And Black Attack", com 6 músicas. Mas o Primeiro grande lançamento, foi "Soldiers Under Command", de 1985, que vendeu mais de meio milhão de cópias em todo o mundo.

Em 1986, saiu "To Hell with the Devil", considerado por muitos o melhor trabalho do Stryper. O EP "The Yellow and Black Attack" foi re-lançado como álbum completo, com duas músicas a mais, "My Love I'll Aways Show" e "Reason For The Season".

Em 1988, o Stryper grava "In God We Trust", destacando a música "I believe in You", que no Brasil fez parte da trilha sonora da novela "O Salvador da Pátria", exibida pela TV Globo. Saindo da turnê desse disco, retiraram-se para 8 meses de ensaios no estúdio de Robert Sweet. O resultado foi "Against the Law" de 1990, que deixou alguns fãs confusos com a mudança da aparência do Stryper.

Isso levou numerosos rumores e perguntas sobre a sinceridade da fé da banda. Pois até "In God We Trust", as mensagens eram bem claras acerca da vida cristã, já no trabalho "Against the Law" as letras não condiziam com o que os integrantes pregavam anteriormente.


Em 1991 sai "Can't Stop the Rock", uma coletânea de músicas gravadas de 1984 à 1991, incluindo duas novas músicas, "Believe" e "Can't Stop The Rock" que é a resposta da banda para aqueles que ficaram surpresos na mudança do Stryper que aparecia no disco anterior. Mas nem tudo eram flores no Glam Rock: as críticas, vindas de todos os lados, não tardaram a ser lançadas contra aqueles que estavam mudando a cara da música cristã americana. Depois de gravar o disco já citado, o "Against the Law", uma manifestação de puro protesto e sem nenhuma referência ao Senhor Jesus, a Deus ou a Salvação, não é difícil de se imaginar o que rolou depois disto: brigas, intrigas e muita confusão.


"Perdemos o nosso foco, esquecemos a mensagem. Começamos com festas, bebidas e tudo mais. Passamos a viver o que condenávamos no palco."
Michael Sweet.
"Foi aí, que Deus entrou em cena e fez parar a bagunça. Hoje sei que Deu s nos perdoou e sou-lhe grato pela chance de fechar as portas do passado."
Michael Sweet.

Em janeiro de 1992, Michael segue sua carreira solo. Michael era o primeiro a reaparecer na mídia, quando fechou negócios com uma nova gravadora. Esta união resultou em três álbuns solos: "Michael Sweet", "Real" e "Self".Em 1994, Tim e Robert se unem a Rex Carrol(ex-Whitecross) e Jimmi Bennet na banda King James. Em 1998, Tim e Oz se unem no Sin Dizzy. Em 2002, a Hollywood Records, faz um convite a banda a lançarem um novo disco, que é lançado em 2003, "Seven: The Best of Stryper" e logo em seguida surge um Tour na América que se transforma em mas um novo disco: "7 Weeks: Live in America, 2003". Porém, em setembro de 2004, Tim Gaines deixa a banda, após longos 21 anos, somente eles mesmos sabem o real motivo.

Em 2005 foi lançado outro álbum "Reborn". Esse é o novo Stryper, de novo estilo músical.

Discografia


Álbuns



Singles



Videografia



Petra



O início


A banda foi fundada pelos guitarristas e compositores Bob Hartman e Greg Hough em 1972, enquanto estudavam no Christian Training Center em Fort Wayne, Indiana, EUA. Lá eles encontraram o baixista John DeGroff e começaram a tocar juntos. O baterista Bill Glover entrou depois na banda. A banda fazia parte do Jesus Movement, um movimento cristão de contrapartida ao movimento Hippie. Apesar da banda não ter emplacado nenhum grande sucesso durante essa época, construiu uma base sólida de fãs. O álbum de estréia que leva o nome da banda foi lançado em 1974.


No início, Hartman e Hough dividiam os vocais. Mas no próximo álbum, Come and Join Us, o então baterista auxiliar de palco Greg X. Volz foi convidado a fazer os vocais principais da banda. Volz aceitou e a banda continuou seu caminho. Um pouco depois do lançamento desse álbum, Hough, DeGroff, e Glover deixaram a banda, e Hartman ficou sozinho com Volz, que foi um período de instabilidade. Acabou resultando no lançamento do terceiro álbum em 1979, Washes Whiter Than, enquanto Volz assumia completamente os vocais.


Os anos 80 e o sucesso

Com o início da década de 80, Bob Hartman recrutou o baixista Mark Kelly e o tecladista John Slick. Com a banda renovada e sem nada a perder, o Petra grava o álbum Never Say Die, com um som mais pesado, no estilo Hard rock. A fórmula deu certo, e o Petra emplacou nas paradas de sucesso da música gospel, com músicas sendo tocadas extensivamente nas rádios. Este álbum foi crucial para a carreira da banda, que iria terminar se o trabalho não desse certo.

O baterista Louie Weaver se juntou à banda um pouco depois do lançamento do Never Say Die. Os próximos dois álbuns seguiram o estilo Hard rock: More Power To Ya em 1982 e Not of This World em 1983. John Slick deixou a banda nessa época, sendo substituído por John Lawry. Com a entrada de Lawry a banda gravou um álbum totalmente diferente do estilo que vinha tocando: Beat The System, lançado em 1984. Lawry utilizou pesadamente sintetizadores e baterias eletrônicas, fazendo o som da banda mudar para um Techno rock dos anos 80.

Com o sucesso que vinha fazendo, o Petra gravou em 1985 um álbum ao vivo, o Captured In Time And Space, marcando o som dos últimos cinco anos da banda, que viria a mudar com a saída do vocalista Greg Volz. Volz procurava seguir carreira solo e por isso abandonou a banda. John Schlitt, ex-vocalista da banda secular Head East foi convidado para a banda. Com essa formação o Petra gravou Back To The Street em 1986 e This Means War em 1987. Estes álbuns possuem um estilo um pouco diferente do anterior. Os teclados estão mais presentes, lembrando o som de bandas de Glam metal, como Van Halen. A voz de John Schlitt também é um grande diferencial nesta fase da banda. O baixista Mark Kelly abandonou a banda após This Means War, e para o próximo álbum foi chamado Ronny Cates para substituí-lo. O álbum On Fire foi um sucesso, levando a banda a ganhar seu primeiro Grammy, de melhor performance gospel.

Em 1989 a banda gravou um álbum de hinos protestantes conhecidos, chamado Petra Praise: The Rock Cries Out.

Os anos 90

Com a formação da banda estável, Petra gravou em 1990 o álbum Beyond Belief, considerado pela maior parte dos fãs o melhor da banda. Este álbum é marcado por um som pesado e ritmado, tendo só duas baladas entre as dez faixas.

Em 1991 veio Unseen Power, com mais teclados. Em 1992 o álbum Petra Praise foi regravado com os vocais em espanhol e lançado como Petra En Alabanza.

O ano de 1993 viu o último álbum da formação mais aclamada do Petra, Wake-Up Call. Este álbum possui uma combinação de som pesado, músicas rápidas, baladas e uma ótima performance do vocalista John Schlitt. Estes três últimos trabalhos da banda (excluindo Petra en Alabanza) foram os maiores sucessos de sua carreira, todos sendo premiados com o Grammy de melhor álbum de gospel rock do ano.

Após a turnê de Wake-Up Call, John Lawry deixou a banda para se dedicar a projetos pessoais, e Bob Hartman abandonou a guitarra para se tornar o produtor e compositor da banda e ficar mais tempo com a família.

Entram então o tecladista Jim Cooper, que era técnico de John Lawry, e o guitarrista David Lichens. A banda grava e lança em 1995 o álbum No Doubt. Apesar do relativo sucesso do álbum, os dois novos membros iriam sair mais tarde devido a conflitos pessoais com John Schlitt, além do baixista Ronny Cates, devido a problemas familiares. Entra então na banda o baixista Lonnie Chapin, e a banda grava Petra Praise 2: We Need Jesus, lançado em 1997. Este trabalho foi muito bem recebido, apesar das crises na banda.
O guitarrista e tecladista Kevin Brandow e o guitarrista Pete Orta entram na banda, dando um som totalmente novo ao álbum God Fixation, em 1998. O estilo deste álbum tende ao Pop rock contemporâneo.

Últimos trabalhos, crises e fim da banda

Em 2000 o Petra lança Double Take, um álbum com os maiores sucessos da banda em versão acústica. Apesar do descontentamento dos fãs mais antigos com as novas versões dos clássicos, o álbum levou a banda a ganhar seu último Grammy, de melhor álbum de Gospel rock do ano. Kevin Brandow abandonou a banda antes da gravação desse álbum, sendo substituído por Trent Thomason. Mas todos estes jovens membros acabaram por deixar a banda após a turnê, e para piorar a gravadora rompeu com o Petra, colocando a banda quase que num fim forçado.

Foi então que Bob Hartman decidiu entrar novamente na banda, tentando reerguê-la. Com uma nova gravadora, o Petra lança em 2001 Revival, um outro álbum de hinos de louvor. Este álbum ganhou alguma atenção para a banda, que saiu para uma turnê com os novos membros Bryce Bell (teclados), Quinton Gibson (guitarra) e Greg Bailey (baixo). A turnê obteve um bom sucesso, e a banda parecia estar renascendo das cinzas, mas mais problemas ainda viriam. Quinton Gibson e Bryce Bell deixaram a banda, e um problema interno que gerou muita polêmica entre os fãs: o baterista Louie Weaver foi mandado embora, depois de 22 anos na banda.

A banda tentou dissipar os rumores e com o baterista Paul Simmons e Bob Hartman reassumindo as guitarras, gravou Jekyll and Hyde, o álbum mais pesado já gravado pelo grupo, lançado em 2003. O trabalho recebeu boas críticas, mas gerou pouco interesse na banda.

Então Bob Hartman, não suportando mais os recentes altos e baixos e a pouca atenção que o grupo tinha nos Estados Unidos, decide encerrar a banda no fim de 2005. Em 4 de outubro desse ano, a banda grava um show em Franklin, Tennessee, junto com os antigos integrantes John Lawry e Greg Volz, e lança como seu segundo e último álbum ao vivo: Petra Farewell (farewell significa "adeus" em inglês), que também foi lançado em DVD.

O vocalista John Schlitt continua seguindo seu trabalho solo após o fim da banda, e o ex-baterista Louie Weaver se juntou a outros veteranos do Rock cristão e formou a banda Viktor.


Discografia

Álbuns de estúdio





Compilações



  • (1989) - Petra Means Rock

  • (1990) - War & Remembrance

  • (1991) - Petrafied: The Best Of Petra

  • (1991) - The Petra Collection: Baylor Religious Hour Choir

  • (1992) - Petraphonics

  • (1993) - Power Praise

  • (1995) - Rock Block

  • (1996) - The Early Years

  • (1999) - The Coloring Song

  • (2001) - Greatest Hits, Vol. 1

  • (2002) - Still Means War

  • (2003) - The Power Of Praise

  • (2006) - The Praise Collection

  • (2006) - The Ultimate Collection

  • (2006) - The Early Years

  • (2007) - The Definitive Collection


Ao vivo

Nenhum comentário: